amendoasamargas.com
Câncer, Amêndoas Amargas, Amigdalina Viva
O segredo de EDEN para matar o câncer naturalmente


1.- O QUE É CÂNCER?
O câncer é uma DUPLICAÇÃO descontrolada, permanente e mais ou menos constante de uma célula filha que cresce para formar um tumor que comprime e rompe as estruturas vizinhas.
Por que as células cancerosas se duplicam ("filhas más")?
Existem dois tipos de células boas no corpo. A mãe e as filhas.



As células-tronco têm o telômero desbloqueado para que possam se duplicar. Elas são duplicadas quando é necessário substituir uma célula filha que não desempenha mais sua função corretamente (desgastada, morta, defeituosa, infectada, etc.) A célula-tronco é mãe para toda a vida e nunca pode ser filha.
As células filhas são as células somáticas do corpo e sua função é realizar o metabolismo do corpo corretamente. Obtenha energia para produzir compostos biológicos necessários à manutenção do corpo. A célula filha tem um telômero bloqueado e não pode se duplicar. Ela só pode ser filha para o resto da vida. Células filhas são boas filhas, obedientes a tal ponto que, no final de sua vida útil, quando, gastas e envelhecidas por tanto trabalho, não conseguem mais cumprir sua função adequadamente, suicidam-se para dar lugar a outra irmã mais nova. Mas às vezes acontece que a "célula filha boa" decide ser uma "filha má e desobediente". Ocorre quando a célula filha sente que está sendo maltratada porque o corpo a que pertence leva uma ˇ§vida ruimˇ¨ e sofre injustamente. É então que ela decide se rebelar contra o corpo que a maltrata. Ele libera seu telômero e se torna uma célula neoplásica ou cancerosa, mas não uma "mãe". Ela se torna uma "filha má" que se recusa a cometer suicídio e começa a se duplicar, mas não para substituir as irmãs mortas, mas para matar o indivíduo que ela DECIDIU ELIMINAR COMO ABUSO.
As células biologicamente boas funcionam com o metabolismo aeróbio, enquanto as células ruins funcionam com o metabolismo anaeróbico.
Quando uma célula boa se torna maligna e se torna má (cancerosa), ela muda seu metabolismo aeróbio por outro metabolismo mais eficiente que fornece mais energia. O metabolismo anaeróbio, da célula ruim, é 200 vezes mais rápido que o aeróbio, da célula boa. Com mais energia mais ˇ§malignidadeˇ¨. Mau cresça e ganhe.

2.- POR QUE SE PRODUZ O CÂNCER?
Efeito Warburg
A fisiologia humana requer um pH neutro constante de 7,3. O câncer gosta de um pH ácido. Quando o pH cai, a probabilidade de malignidade celular aumenta.
Em 1931, o Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina foi concedido ao Sr. Otto Heinrich Warbur, que mais tarde postulou que o câncer é devido a uma dieta e estilo de vida NÃO fisiológicos. O principal fator para evitar o aparecimento do câncer é o comportamento e a alimentação fisiológica. É fisiológico comer alimentos com pH neutro, como vegetais crus, vivos e frescos e SEM METAIS OU PRODUTOS QUÍMICOS. Tudo que passa pelo fogo (calor) perde elétrons (torna-se ácido) e quando ingerido desequilibra o pH do corpo neutro PARA BAIXO.
ALIMENTOS ÁCIDOS (NÃO FISIOLÓGICOS)

  

3.- COMO SE PRODUZ O CÂNCER?
O estilo de vida fisiológico de uma célula começa quando a anandamida se liga ao seu receptor tipo CB3 (canabinóide 3) em pH 7,3.
A anandamida é a rainha do metabolismo. Todas as células o produzem e todas têm receptores para ele. A biologia de qualquer célula é ativada quando a anandamida que ela produz se liga ao seu receptor CB3. Isso ocorre com um pH neutro entre a anandamida e o receptor, de 7,3
À medida que o pH cai (acidifica), a capacidade da anandamida de se ligar ao receptor CB3 diminui e a célula não funciona bem. Existem células especializadas capazes de regenerar o pH com íons de cálcio alcalino quando ele cai abaixo de 7,3. Enquanto você é jovem, você tem muitas células de reparo de pH, mas se você as fizer funcionar muito, elas se desgastam antes do tempo. Na velhice podem ser escassos e o pH pode permanecer ácido por muito tempo. A velhice é a fase da vida em que é mais difícil manter um pH neutro e mais pessoas sofrem com isso.
A proteína GPR55 é responsável pelo plasia celular (formação de novos tecidos por divisão das células-tronco). É encapsulado (aprisionado-aprisionado) dentro do receptor CB3 e permanentemente inibido pela anandamida que se liga constantemente ao receptor CB3. Só é ativado (liberado) quando é necessário plasia celular. Se a anandamida não puder se ligar ao receptor CB3 devido à existência de um pH ácido prolongado, a proteína GPR55 é desinibida (liberada), o gene supressor de tumor é inibido e o oncogene é liberado. E a célula boa libera seu telômero e fica ruim (anaeróbia).
Anandamida, pH 7,3, proteína GPR55, gene supressor de tumor e oncogene

anti-e1.jpg (191756 bytes)


O oncogene ativado codifica para a via anaeróbia (cancerosa) uma nova enzima M2-PK (uma isoforma da piruvato quinase normal do gene supressor de tumor). TUMOR M2-PK (ESTÁ PRESENTE EM TODAS AS CÉLULAS CÂNCERAS). Esta enzima acelera a glicólise da glicose no citosol (ATIVA A VIA ANAERÓBIA EM ALTA VELOCIDADE) e ao mesmo tempo INTERROMPE A VIA AERÓBICA MITOCONDRIAL, que é a via normal de células saudáveis. Na célula cancerosa, o processo de obtenção de energia é a fermentação láctica da glicose (que não requer a presença de oxigênio e ocorre com ou sem oxigênio). Caracteristicamente, muito ácido láctico (lactato) é produzido dentro do tumor. Pode ser detectado em sua vizinhança, mas diluído à distância e mais se as células flutuam no sangue como nas leucemias.

4.- EXISTE ALGUMA MEDICINA NATURAL VIVA QUE MATE SELETIVAMENTE CÉLULAS ANAERÓBICAS (CANCEROSAS) SEM PREJUDICAR AS CÉLULAS SAUDÁVEIS?
SIM. ALMENCRA AMARGA'S LIVING NATURAL AMYGDALINE
AMÊNDOA AMARGA


Na quimioterapia do câncer, tanto as células boas (aeróbicas) quanto as células ruins (anaeróbicas) são danificadas pelo uso de drogas "mortas" que não distinguem entre células boas e células ruins. Matam tudo diretamente e nem servem de alimento para revitalizar as células boas vizinhas que sofrem, oprimidas e esmagadas pelo tumor.
Os medicamentos alimentares anti-anaeróbicos vivos pertencem a um medicamento de outro nível.
Com as células antianaeróbicas de um medicamento alimentar, apenas as células anaeróbias são danificadas, mas não as células aeróbias, que, quando bem alimentadas, se recuperam na velocidade que o tumor diminui. Um Remédio que no momento só está nas mãos da Sábia Natureza que tudo criou.

5.- O CÂNCER TEM ALGUMA VULNERABILIDADE QUE POSSA MATAR SÓ SELETIVAMENTE?
SIM. AS VULNERABILIDADES DO METABOLISMO ANAERÓBICO PRISIONADO DENTRO DE UM METABOLISMO AERÓBICO.
O corpo humano funciona com o metabolismo aeróbio. Todas as suas células VIVAS saudáveis ​​funcionam com metabolismo aeróbio. Os glóbulos vermelhos (globos vermelhos do sangue) não têm mitocôndrias, portanto funcionam com o metabolismo anaeróbico. Não podem se tornar malignos porque não têm núcleo e não podem morrer de cianeto de amigdalina porque não têm vida, já nascem mortos, funcionam sem vida por um curto período de cerca de cento e vinte dias.
As células ruins têm metabolismo anaeróbico e, só porque estão dentro de um organismo totalmente aeróbio, têm um problema sério: podem ser facilmente mortas com medicamentos alimentares que matam as células anaeróbias.
As células aeróbicas usam oxigênio como o aceptor final de uma cadeia de elétrons que produz:
Energia na forma de ATP + cianeto + H2O + CO2
O cianeto é tóxico, mas não prejudica a célula aeróbia porque contém uma enzima que fabrica especialmente para neutralizar o cianeto. Enzima RODANASE, que neutraliza o cianeto ao convertê-lo em tiocinato, um alimento para a célula.
As células anaeróbicas não usam oxigênio como o aceptor final de uma cadeia de elétrons que produz:
Energia na forma de ATP + Ácido Lático + H2O + CO2
O cianeto é tóxico e danifica a célula anaeróbia porque não possui uma enzima para neutralizá-lo. NÃO TEM RODANASE.
As células tumorais vivem submersas em um mar de cianeto, mas não se afogam nele porque não o tocam. No entanto, se uma única microgota de cianeto tocasse neles, eles sufocariam instantaneamente.
A amêndoa amarga é um alimento-remédio vivo. Está vivo, é diplóide e faz sexo. Um medicamento de OUTRO NÍVEL, nada comparável à biotecnologia sem vida da química morta. Pode se auto-reproduzir por milhares de anos e oferece, além de alimentos, medicamentos. A parte da "droga" reside na amigdalina, um composto que contém cianeto e benzaldeído ligados à glicose.



Células boas e ruins consomem glicose como energia (glicólise).
As células boas o obtêm processando proteínas, gorduras e diversos carboidratos, principalmente a FRUTOSE, que é o carboidrato típico do reino vegetal. A frutose é um isômero da glicose, tem a mesma fórmula molecular, mas estrutura diferente. Mesmo assim, as células animais não podem metabolizar a frutose diretamente, mas devem primeiro transformá-la em glicose.
As células ruins não podem transformar nada (nem proteínas, gorduras ou açúcares de qualquer tipo, exceto a glicose que comem excessivamente). Eles não possuem as enzimas necessárias para isso, porque sua intenção não é manter o corpo, mas estragá-lo o mais rápido possível. Eles têm apenas enzimas GLUCCISIDASE demais para degradar vorazmente a glicose. Eles estão limitados a consumir diretamente glicose em grandes quantidades em alta velocidade. E daí a questão da suspeita: ˇ§Você emagreceu nos últimos dias ...?
A amêndoa amarga teve o gênio de unir um cianeto e um benzaldeído a duas moléculas de glicose em vez de uma frutose para criar uma AMIGDALINA VIVA que pode sentir o sabor das células animais, tanto boas quanto más.
No homem, quando ele come amêndoas amargas, tanto as células boas quanto as ruins podem sentir o sabor dessa combinação única, sem demora e sem qualquer impedimento metabólico. E este é o propósito da glicose amigdalina: um gancho para células ruins.
Além de engenhosa, a amêndoa amarga ressalta com precisão que possui atividade química. O benzaldeído, que dá o sabor amargo, indica a quem pode interessar, que tem atividade química e que o alimento em questão pode beneficiá-los. Não é em vão que os receptores do gosto amargo são os mais numerosos na boca do homem. E este é o objetivo do benzaldeído da amigdalina: indicar o que comer.
Cianeto com benzaldeído e glicose são o trio de morte para células anaeróbias de qualquer tipo.
Quando uma célula cancerosa degrada a amigdalina, o cianeto e o benzaldeído que são liberados agem sinergicamente dentro da célula e CHOKE-lo porque não pode neutralizá-lo ou se defender devido à falta de rodanase. As células saudáveis ​​ficam ilesas porque TODAS têm rodanase, que transforma o cianeto em tiocinato e o benzaldeído em ácido benzóico, inofensivo.


6.- QUANTAS AMÊNDOAS AMARGAS PODEM SER COMIDAS?
Todas as células vivas e saudáveis ​​no corpo humano funcionam com metabolismo aeróbio e, portanto, todas fabricam a enzima RODANASE que inativa o cianeto que ocorre naturalmente durante o metabolismo. Todas as pessoas têm RODANASE e podem comer amêndoas amargas.
Estudos toxicológicos indicam que a quantidade de cianeto mortal para o homem é de cerca de 8 mg / kg de peso corporal. Um homem pesando 75 kg precisa de 600 mg de cianeto para morrer.
As diferentes amêndoas amargas que existem do gênero prunus (cereja, ameixa, damasco, pêssego e amêndoa amarga) possuem diferentes quantidades de cianeto que variam entre 200 e 400 mg / Kg. de amêndoas naturais descascadas.
8,5% do peso da amêndoa é água, o que descontando resulta em cerca de 1100 gr. amêndoa seca. A que mais contém é a amêndoa amarga de prunus amygdalus amara. Cerca de 400 mg por quilograma. Estima-se que comer de uma vez entre 1650 gr. de amêndoas secas com casca de prunus amygdalus amara podem matar um adulto.
Para morrer por comer amêndoas amargas, em um suposto homem com 75 kg, são necessários cerca de 1100 gramas. de amêndoa crua seca sem casca, ou seja 1100 amêndoas secas sem casca de 1,1 gr.
A casca da amêndoa representa aproximadamente 80% do peso da amêndoa, enquanto a amêndoa com casca representa 20%.


¿Dose letal para um homem de 75 Kg.?


1100 gr de amêndoas cruas descascadas.


4,4 Kg de amêndoas amargas com casca.

7.- EXISTE ALGUM RITUAL PARA MATAR CÂNCER COM AMÊNDOAS AMARGAS?
SIM. O antigo ritual de jejum no sábado.
Amêndoas amargas são um alimento vivo - remédio.
Se você não tem câncer, eles podem ser comidos todos os dias até que o apetite diminua. Mas se você tem câncer avançado (um tumor grande), deve ser cauteloso e limitar a ingestão, pois eles podem matar um tumor grande em um curto espaço de tempo. Lembre-se de que um grande tumor leva um certo tempo para crescer. Ele contém bilhões de células cancerosas. Se todas as células tumorais forem mortas em um curto espaço de tempo, seus detritos se espalharão por todo o corpo. A grande quantidade de detritos das células mortas pode envenenar o corpo e danificá-lo. A quantidade de amêndoas amargas ingeridas diariamente pode ser ajustada com base no resultado do teste de sangue para ácido láctico (lactato) e lactato desidrogenase. Sua diminuição gradual ao longo do tempo indica que as células cancerosas morrem todos os dias. Consulte oncologistas especializados no tratamento do câncer com tonsilina viva



O ritual do jejum no sábado e amêndoas amargas no domingo nos tumores em fase de "espera" (stand-by).
O jejum aos sábados é um ritual usado desde os tempos patriarcais para garantir a morte de qualquer célula anaeróbia que tente residir no corpo.
As células ruins podem crescer mais rápido do que os vasos sanguíneos que nutrem o tumor. Para não sufocar, as células cancerosas param de crescer temporariamente. Eles param o metabolismo anaeróbico e retomam o metabolismo aeróbio para esperar o crescimento de novos vasos sanguíneos e poder continuar crescendo mais tarde.
Enquanto esperam, com metabolismo aeróbio, eles têm rodanase, portanto não são vulneráveis ​​à amigdalina.
Felizmente, existe uma armadilha infalível para a voracidade infinita: a fome.
A hipoglicemia aguda força a célula neoplásica a se alimentar. Se você parar de comer por um dia inteiro (RÁPIDO AO SÁBADO), a célula ruim mudará rapidamente seu metabolismo. Deixará o metabolismo aeróbio pronto para retomar o anaeróbio. Quando ativa seu metabolismo anaeróbico, produz muitas enzimas glicosidase para quebrar a glicose. Enquanto você está com fome, você se enche dessas enzimas para metabolizar o máximo de glicose possível quando ela o atinge.
No metabolismo anaeróbio, a rodanase não é produzida e é então que a célula neoplásica se torna vulnerável à amigdalina. Quando a amigdalina entra repentinamente nas células neoplásicas famintas no domingo, a grande quantidade de glicosidases libera cianeto e benzaldeído "em um jato" da amigdalina, o que é fatal para as células cancerosas.
8.- QUAL AMÊNDOA AMARGA É A MELHOR PARA MATAR CÉLULAS ANAERÓBICAS?
TODOS SÃO MAIS AMIGOS, TODOS TÊM AMIGDALINA E TODOS SÃO USADOS PARA COMBATE AO CÂNCER, ESPECIALMENTE A "JÓIA DO EDEN": A AMÊNDOA AMARGA DE PRUNUS AMYGDALUS AMARÁ QUAL É O QUE CONTÉM MAIS AMIGDALINA.
A amigdalina é encontrada nas sementes de muitas frutas das árvores fíticas e vegetais do KIT EDÉN (basicamente figo, romã, maçã, pêra, marmelo, alfarroba, videira, pistache, nogueira, avelã, cereja, ameixa, damasco, pêssego, amendoeira amargo, cannabis e trigo), que contêm quantidades variáveis ​​de amigdalina. É especialmente abundante nas sementes do gênero prunus (cereja, ameixa, damasco, pêssego e amêndoa amarga). A que mais tem é a amêndoa amarga de prunus amygdalus amara, que dá nome à amigdalina.



TODOS CONTÉM AMIGDALINA E TODOS PODEM SER USADOS PARA MATAR CÉLULAS ANAERÓBICAS. O QUE A AMIGDALINA MAIS CONTÉM É O MAIS DIFÍCIL DE OBTER.
A JÓIA DO ÉDEN

9.- EXISTEM ESTUDOS QUE MOSTREM QUE AMIGDALINA VIVA MATA CÂNCER?
NÃO
Não. Não há estudos mostrando que a AMIGDALINA VIVA mata o câncer. Há estudos que indicam que a AMIGDALINA MORTA (sintética) não cura o câncer ou não é "conclusiva".

Nenhum estudo pôde ser realizado com amigdalina AO VIVO. É complicado e improvável coletar, em um determinado local do planeta, amêndoas amargas em quantidade suficiente do gênero prunus amygdalus amara para poder realizar um estudo em várias pessoas com câncer. No momento, as campanhas agrícolas da amêndoa não se destinam a colher ou concentrar amêndoas amargas, mas a desagregá-las e torná-las invisíveis com BILHÕES DE TONELADAS DE AMÊNDOAS DOCES E MÁ IMPRENSA NA INTERNET. O "boca a boca" é a divulgação usual para "cantar" os benefícios da amígdala.

O fato é que a cada dia há menos amêndoas amargas no mundo.
Existe uma campanha mundial para eliminar a espécie Prunus amygdalus amara da face da Terra.

A perseguição é implacável.
Amendoeiras amargas são alvo da tecnologia de espectroscopia de infravermelho próximo NIRS.

Eles são geo-localizados por drones equipados com tecnologia NIRS.



E quando são descobertos, uma equipe de operadores vem para desenraizá-los.



E mesmo as poucas amêndoas que podem escapar e atingir a cadeia de seleção e distribuição são detectadas com Sistemas de Visão Artificial. "



Poucos alcançam a boca.

Em breve, na Europa, haverá apenas algumas amendoeiras amargas deixadas para trás em vinhas abandonadas.


Relíquias de EDEN que valerão seu peso em ouro.

10.- SÃO UTILIZADAS AMÊNDOAS DOCES PARA MATAR CÂNCER?
NÃO
Prunus Amygdalus Amara Vs Prunus Dulcis
O original versus o arrivista
A amêndoa amarga de Prunus amygdalus amara é a original. Originário do EDÉN, surgiu dela uma estranha mutação que deu origem à variante "prunus dulcis" que deixou de ser amêndoa amarga porque não contém amigdalina, que a perde à medida que amadurece.
A amêndoa prunus dulcis é um alimento vivo mas sem medicamento e serve apenas para alimentar, mas não mata células anaeróbicas de qualquer tipo. É aquele que não é perseguido e pode ser facilmente adquirido no mercado a ponto de ofuscar a amêndoa amarga.

        

A amigdalina é a defesa natural da amendoeira amarga contra infecções por microorganismos patogênicos (anaeróbios).
Amygdalin mata células anaeróbicas de todos os tipos, como vírus e bactérias que infectam células vegetais quando mordem seu gancho de glicose. Graças a ela, a amendoeira amarga pode viver sua longa longevidade de várias centenas de anos com saúde e atingir grandes dimensões.
Amêndoa Amarga Selvagem.

As gigantescas amendoeiras amargas com várias centenas de anos já não são visíveis hoje. As amendoeiras prunus var. os dulcis não têm amigdalina, portanto, costumam ser infectados por patógenos anaeróbicos e morrer jovens. A maioria morre antes dos 50 anos e geralmente não ultrapassa os 5 metros de altura. Os poucos que conseguem chegar aos 100 anos não passam dos 10 metros. Os fazendeiros, conhecendo sua fraqueza inata, enxertam o pé da amendoeira prunus amygdalus amara com um caule de prunus dulcis. Assim, evitam a morte prematura por infecção das raízes, mas não podem evitar a infecção do caule, e a amendoeira doce morre muito cedo, devido a uma estranha "mutação suicida", sem poder consumir sua longevidade genética.

ˇ@

ˇ@

ˇ@

ˇ@